2 de dez de 2014

Killy Freitas


Muitas vezes somos cegos aos talentos de nossa região. Não é por descaso ou algo assim, mas porque todos acreditamos que teremos até o final dos tempos para ver aquele artista escritor, pintor, dançarino, músico... Afinal, mora logo ali, não é mesmo?

Assim faço meu mea culpa quanto ao Killy Freitas, de quem só tenho visto apresentações esporádicas e que, como vocês devem ter imaginado, mora logo ali, na mesma cidade onde estou. Desculpas aceitas?

Depois que voltei a escrever sobre cultura tenho me preocupado em buscar de tudo um pouco, mas principalmente música. Vida sem música é tão tristonha e tem tanta gente por aí que faz ótimos trabalhos, que o bom mesmo é divulgar para que, sabe-se lá, algo que eu mostre aqui acabe caindo como uma luva para o seu momentum.

Pois bem, antes de mais nada e saindo do protocolo, vou colocar primeiro um vídeo para você ficar ouvindo enquanto lê o resto. Vamos de "Casamentero", com Killy Freitas e Antonio Skármeta:


Killy Freitas é natural de Santa Cruz do Sul, RS. Compositor, violonista, guitarrista e cantor, envolvido em vários projetos musicais, com uma carreira de quase 30 anos dedicados à música. Trabalha na criação de trilhas sonoras para teatro, música instrumental, educação musical e outros projetos autorais. 

Já acompanhou e/ou dividiu palco com vários músicos, como Veco Marques (Nenhum de Nós), Richard Powell, Paulinho Supekóvia, Maurício Marques, João Vicente, George Israel (Kid Abelha), Bianca Obino, Marcos Davi, Orquestra da UNISC, Daniel Namkhay, Renato Muller, Vinícius Corrêa e Claudio Veiga (Batuque de Cordas), Felipe Azevedo, Angelo Primon, o músico espanhol Cuti Vericad entre outros, em palcos nacionais e estrangeiros.

Lançou seu primeiro álbum em 2011, o "d'Alma" (instrumental) e agora, no próximo dia 4 de dezembro, lança o segundo -- "Café Frio" -- com parceria com o escritor chileno Antonio Skármeta. Skármeta, você deve se lembrar, é o autor de, por exemplo, "O Carteiro e o Poeta". Abaixo, a sinopse de "Café Frio", CD em homenagem a Pablo Neruda:

Um feliz intercâmbio entre Brasil e Chile, unindo talentos, misturando ritmos, estilos e sotaques. Um escritor chileno renomado que ama a música brasileira e um músico brasileiro com grande influência latina. Assim pode ser definido “Café Frio”.
As canções têm letras de Skármeta, musicadas por Killy, que assina também a produção e os arranjos do trabalho.
Para engrandecer ainda mais o projeto, Killy convidou alguns dos melhores músicos do Rio Grande do Sul para participações especiais: os cantores Victor Hugo e Bianca Obino (indicada ao Prêmio Açorianos de Música 2013 nas
categorias Instrumentista MPB e Revelação), acordeonista Renato Muller, o saxofonista Pedrinho Figueiredo, o guitarrista Ricardo Vogt (da banda de Esperanza Spalding), dentre outros.
A obra que está na capa e encarte é do artista plástico, o paulista Newton Mesquita, feita especialmente para o cd.
As canções vão do samba ao bolero, passando pela milonga, chamamé, bossa nova e por vezes um discreto sotaque jazzístico.
Se você for daqui da região, prestigie o lançamento de "Café Frio" será realizado no Espaço Camarim, em Santa Cruz do Sul, dia 04 de dezembro, às 20:00hs (ingressos a $20,00 na porta, antecipados a $15,00, na Livraria Iluminura). Se você não for destas paragens, não tem problema: abaixo deixo os contatos do Killy para que você possa encomendar o seu CD.

Continue acompanhando Killy Freitas: