25 de out de 2008

Barroco

A obra de Bento Teixeira, Prosopopéia, marca a transição do Quinhentismo para o Barroco. O Barroco ganhou força no Brasil entre 1720 e 1750, fase em que foram fundadas inúmeras academias literárias no Brasil. As obras literárias são marcadas pela angústia e a oposição, entre o mundo material e espiritual. Os escritos são carregados de metáforas, antíteses e hipérboles.

Os escritores que mais se destacaram na época foram:

Gregório de Matos:

"Ao dia do juizo.

O alegre do dia entristecido,
O silêncio da noite perturbado
O resplendor do sol todo eclipsado,
E o luzente da lua desmentido!

Rompa todo o criado em um gemido,
Que é de ti mundo? onde tens parado?
Se tudo neste instante está acabado,
Tanto importa o não ser, como haver sido.

Soa a trombeta da maior altura,
A que a vivos, e mortos traz o aviso
Da desventura de uns, d’outros ventura.

Acabe o mundo, porque é já preciso,
Erga-se o morto, deixe a sepultura,
Porque é chegado o dia do juízo." ( MAIS SOBRE ELE AQUI)



Botelho de Oliveira:

" Jaz oblíqua forma e prolongada

    a terra de Maré toda cercada

    de Netuno, que tendo o amor constante,

    lhe dá muitos abraços por amante,

    e botando-lhe os braços dentro dela

    a pretende gozar, por ser mui bela.

Nesta assistência tanto a senhoreia,

    e tanto a galanteia,

    que, do mar, de Maré tem o apelido,

    como quem preza o amor de seu querido:

e por gosto das prendas amorosas

    fica maré de rosas,

    e vivendo nas ânsias sucessivas,

    são do amor marés vivas;

    e se nas mortas menos a conhece,

    maré de saudades lhe parece.

Vista por fora é pouco apetecida,

    porque aos olhos por feia é parecida;

    porém dentro habitada

    é muito bela, muito desejada,

    é como a concha tosca e deslustrosa,

    que dentro cria a pérola fermosa.

Erguem-se nela outeiros

    com soberbas de montes altaneiros,

    que os vales por humildes desprezando,

    as presunções do Mundo estão mostrando,

    e querendo ser príncipes subidos,

    ficam os vales a seus pés rendidos.

Por um e outro lado

    vários lenhos se vêem no mar salgado;

    uns vão buscando da Cidade a via,

    outros dela se vão com alegria;

    e na desigual ordem

    consiste a fermosura na desordem." ( CONTINUA)


    Frei Itaparica:

"Descrição da Ilha de Itaparica

Canto Heróico

I
Cantar procuro, descrever intento,
Em um Heróico verso e sonoroso,
Aquela que me deu o nascimento,
Pátria feliz, que tive por ditoso:
Ao menos co'este humilde rendimento
Quero mostrar lhe sou afetuoso,
Porque é de ânimo vil e fementido
O que à Pátria não é agradecido.

II

Se nasceste no Ponto, ou Líbia ardente,
Se no Píndaro viste a aura primeira,
Se nos Alpes, ou Etna comburente,
Princípio houveste na vital carreira,
Nunca queiras, Leitor, ser delinqüente,
Negando a tua Pátria verdadeira,
Que assim mostras herdaste venturoso
Ânimo heróico, peito generoso." ( CONTINUA)


Padre Antônio Vieira: Foi autor de diversos sermãos e livros, entre eles a história do Futuro ( Clique aqui para acessar a obra)


Sebastião da Rocha Pita:

"Soneto

[Mudou o Sol o Berço refulgente,
[ou fez Berço do Túmulo arrogante
[galhardo onde se punha agonizante
[com luz no Ocaso, e sombras no Oriente.

[Não morre agora o Sol, quer diferente
[no Aspecto, se na vida semelhante
[no Oriente nascer menos flamante,
[e renascer mais belo no Ocidente.

[Fênix de raios a uma, e outra parte
[O comunica os incêndios, e fulgores,
[porém com diferença hoje os reparte.

[Nasce lá no Oriente só em ardores,
[no Ocidente a ilustrar Ciência, e Arte
[renasce em luzes, vive em resplendores."


Nuno Marques Pereira:

Não achei nenhum texto on line dele, porém foi autor do livro "do peregrino da américa", o título é bastante extenso e algo mais sobre o autor pode ser encontrado AQUI.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..