22 de dez de 2010

Vazou?

Ideologia:

1 Ciência da formação das ideias e de um sistema de ideias.
2 Fil. Pol. Rel. Soc. Sistema articulado de ideias, valores, opiniões, crenças etc., organizado como corrente de pensamento, como instrumento de luta política, como expressão das relações entre classes sociais, como fundamento de seita religiosa etc.
3 Fil. No marxismo, o conjunto das formas de consciência social que tem por finalidade legitimar a classe dominante ou, no lado oposto, os interesses revolucionários da classe proletária.
4 Hist. Conjunto das ideias e convicções próprias de uma época, uma sociedade, uma classe etc., e que caracterizam uma situação histórica.


Ponto.

Simplificando, ideologia nada mais é que um conceito que une determinado tipo de pessoas com ideias e interesses comuns.

Toda vez que escuto alguém referindo-se a este ou aquele político e sua ideologia partidária, sinto cãimbras cerebrais. Em nossa história recente nada foi menos valorizado, tanto que em qualquer blog -- por pior que seja -- ou jornal -- por menos tendencioso que seja --, encontram-se descritos fatos e ações que comprovam que a ideologia por si só, inexiste. Pode-se sim encontrar a ideologia de mercado, a ideologia de conchavo, a ideologia de interesses. Mas aquela purinha como cachaça de engenho velho, descrita no topo deste texto, desapareceu.

Claro que entre a militância de um partido político existem sim os ideologistas, daqueles que trabalham de sol a sol pelo seu candidato, sem ter por norte um CC e sim por acreditar. Esse pobres coitados creem que a honestidade e a pureza de seu ídolo político são inquestionáveis. Choram e vibram por ele, cegamente. E cegamente deixam os bastidores de lado pois, creio eu, tenham medo do desapontamento.

O vazamento de informações pelo WikiLeaks, encabeçado pelo tal Julian Assange, é nada mais, nada menos que uma constatação de que existe vida atrás do biombo. Ninguém sabia de nada do que esse site tem mostrado? Claro que inúmeras pessoas sabiam, mas se a imprensa divulga, principalmente aqui no Brasil, levanta-se a militância e brada "Oportunistas! Oligarcas! Golpistas!". Por quê? Porque a militância não pensa por si. Militância pensa com a cabeça da ideologia que ela crê e que o cacique de seu partido manipula a seu bel prazer. Então os Assange da vida são necessários, nãoa diantando em nada gritar a favor ou contra. O WikiLeaks expõe de forma prática o que se sabia em teoria.

O atual governo é diretamente ligado à Ditadura Militar brasileira. O Sr. Luiz Inácio recebe aposentadoria por isso, não é? Então por que não liberam todos os arquivos de uma vez só, para que historiadores possam montar o quebra-cabeças real do que aconteceu naquela época, independente a quem as histórias confrontem no futuro? Afinal, podem fazer suas apostas: os tiros não acertarão somente militares. Após os oito anos trabalhistas no poder, questiona-se mas não se resolve...

Mas mais interessante não seria então deixar de lado esse período, interessante tão somente aos historiadores e focarmos na época atual? Digamos de Collor para diante? Que se divulguem as agendas, os dossiês, os recadinhos em guardanapo, os olhares excusos... Isso sim teria efeito imediato, podendo ser útil em duas situações diversas: a quebra da maldita ideologia que sustenta a massa de manobra partidária e o retorno do respeito que a classe política se acha no direito de cobrar para si.

Política já foi tida como arte. Hoje é a reunião dos arteiros. Basta ver os aumentos auto-concedidos a título de presentes de Natal.

Com a liberação dos dados através do WikiLeaks o problema maior que os políticos americanos enfretarão não será a mancha sobre seu corpo diplomático e sim a re-conquista de massa de manobra. Quem sabe muitos cidadãos sintam-se usados -- como realmente o são -- e tornem-se mais seletivos na paixão pela ideologia gritada aos quatro ventos pelos enganosos senhores de paletó e gravata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..