14 de ago de 2010

Pontuando pensamento.

Dos meus (meu) (t) eus (eu)

Eu não sou várias, não contemplo a lua e nem estou tentando me encontrar.
Sou única, sou uma... A mesma que lava-louça, educa, trabalha, beija e dorme mais que a cama consegue aguentar. Não me estraçalho nem  rasgo os pedaços, sou inteira, não me divido nem polarizo e desconfio... De quem eternamente tenta se buscar.
A vida é sim eterna busca de algo, mas a pessoa não. Quem não se sabe não sabe dos outros, não entende os fulanos nem beltranos, precisa encontrar o centro para algum dia conseguir acrescentar.

Da poesia (ss)

A poesia muitas vezes desvia... Enfeita tristezas, inventa alegrias e distribui porradas aleatórias. Algumas palavras só cabem em poesia, o resto é conversa fiada e desfiada; é luz para gerar reflexo, é pelagem para qualquer passante.
Saudades, loucuras e autoafirmações são ótimas na poesia... Encaixam e formam, mas a prática é dolorosa tal carne rasgada e  chorar chuva.
Poesia não e entreternimento. É bem mais que isso, é conseguir causar o que nada causa é atingir o inatingível.

O Vento ( daval)

O vento me cansa! Cansa ler e traduzir. A pobreza existente roubou o vento e não tem mais graça. O vento e a chuva deixaram a poesia de lado... Tanta destruição, tanto alagamento e destelhamento, virou coisa séria.
Admiro os que poetam ainda sobre vento, afinal de contas poesia também pode ser a arte de cuspir letras enfeitadas para esquecer situações dolorosas.
Uma poesia para o sem-casa, sem-esperança. Uma poesia para quem perdeu tudo e de fato não tem mais nada! Uma poesia como remédio. Uma poesia...

O médio ( dianos)

Ou se é ou não se é. Estamos na época do meio termo de tudo e da falta de meio termo em quase tudo. Cada um cuida do seu e dos seus... É tudo liberado e nada liberado. O médio é ruim e bom. Excelente é proibido, ótimo não se pode, só "Deus é dez".
Eternos aprendizes para ser médios. Ninguém precisa ler, arrancaram a teoria de quase tudo. O médio é ótimo. O médio é qualquer um.

Da "política"

Se perguntam algo simples, significa que afrouxaram. Se perguntam algo difícil, significa que estão contra. Se falam bem do meu, é porque estão corretos. Se falam bem do teu, é porque são estúpidos. Se o meu rouba, eu finjo que não aconteceu. Se o teu rouba eu grito mais alto que o grito.Se o meu é corrupto, eu digo que faz parte. Se o teu é corrupto, eu digo que é inadmissível. Se o meu não existe, eu invento a experiência. Se o teu existe eu invento a inexperiência.
A política virou a surdez dos acontecimentos e dos fatos iguais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..