5 de set de 2009

Como ter orgulho

O Paulo Diesel escreveu um post plausível que faz uma reflexão sobre o orgulho e a identificação, tanto do RS quanto  de ser Brasileiro. Recomendo a leitura, nesse link AQUI.  Comentei no post dele, Paulo respondeu por e-mail, fiz a réplica e ele a tréplica. O Debate ficou tão bom que resolvi escrever sobre isso hoje aqui.
Tenho cá comigo que o orgulho de ser e pertencer a um País é muito do que acontece no momento. Nosso momento é péssimo e uma nação é feita pelos homens que nela habitam concordam? Uma nação também é representada para quem tem o poder, e no nosso caso (brasil), o poder está com a fina flor da "ratonagem", logo o povo está cabisbaixo, sem orgulho. Uma das coisas que achei interessante no post do Paulo é que ele toca na questão da cultura – quem sabe revendo nossas culturas, nossas origens podemos ter um pouco mais de orgulho? - Bem, na minha visão pessoal, o RS hoje por exemplo está equiparado e igual ao resto do País ( resto do País = maneira bem gaúcha de tratar os outros estados) logo não tenho orgulho de ser brasileira e nem gaúcha. Tomo chimarrão, falo gauchês, cantarolo música gaudéria... Mas meu orgulho é quase nulo.
Como ter orgulho de um País que deturpa seus conceitos, elege políticos com o mesmo discurso de mudança faz 50 anos? Como ter orgulho de um País que não dá educação, nem saúde e nem segurança para o cidadão? Como ter orgulho de um Brasil que faz tempo deixou de ser bonito, que faz loteamento da Amazônia e nem coleta seletiva de lixo em algumas cidades faz? E como ter orgulho de um País que perdeu o conceito do que é ter liberdade e vai deixar para a próxima geração um desgoverno brilhante de conceitos e tudo mais? Não tenho orgulho de ser brasileira, e quem sabe se eu morasse em outro País olhando tudo bem de longe eu teria pelo menos um pouco de orgulho? Pode ser...
Hoje escutei do meu filho de 8 anos, que gostaria quando crescesse de ser soldado e de defender o País em caso de guerra. Inclusive falou ele, que acharia normal morrer pelo País se estivesse em guerra, defendendo nosso povo. Sabe qual é o problema? Os desenhos com soldados que ele olha são oriundos dos EUA que pelo menos ainda cultua um pouco o amor pela pátria. Eu e David falamos quase juntos? Morrer por que ? Morrer por quem? Deixa o Lula morrer pelo Brasil ou qualquer outro político , mas os jovens? Não! Até pq penso eu , que se o Brasil investisse em uma guerra no momento ou se o ciclo do poder não mudar, não vai ser nossa guerra e sim da Venezuela ou Bolívia... E por isso? Não vale a pena nem tacar pedra nos outros. Não destruí o sonho infantil do meu filho, mas vislumbro um futuro muito mais bonito para ele do que servir a pátria por um salário "mixuruca" e ainda correr risco de vida... Nunca se sabe o que vão fazer com nossos soldados, além deles ajudarem a mexer cimento em obras, e capinar nos grandes centros eles podem ser enviados para missões de “paz” por aí. Quantos soldados já se machucaram ou morreram fazendo “treinamento”no Brasil? O serviço militar um dia teve seu valor, agora hoje? Foi deturpado como tudo nesse País.
Voltando ao assunto do post , comentei que eu acho bacana quando encontro pessoas com orgulho de ser brasileiro! Eu acho muito legal quando encontro pessoas que encontram coisas boas reais no Brasil, mas me desmotiva ver o Brasil de hoje, me deixa triste ver em que ponto chegamos enquanto País. O dia 7 de setembro para mim significa um feriado 3 dias antes do aniversário da minha mãe e 11 dias antes do meu aniversário e só.
E o que é o hino brasileiro? Um dos hinos mais bonitos do mundo, mas que hoje não reflete nada... Pelo menos para mim. Ao invés do povo tacar pedra na Vanusa que cantou o hino errado por causa de medicação, todos poderiam tentar decorar e entender a letra do hino. Até pq eu realmente gostaria entender o conceito de liberdade de expressão que existe hoje no Brasil, que se resume a: eu te chamo de bêbado, sem vergonha e tudo mais que me veem a cabeça e tu fica quieto. Eu faço um vídeo do youtube com o título : Vanusa canta bêbada o Hino e ela deve ficar quieta! Essa é a pequenez brasileira, aquela que o povo se preocupa mais em quem tá “pegando” ou deixando de “pegar” ao invés de se preocupar com coisas relevantes.
Passando mais ainda pela questão do orgulho... Não tenho orgulho de ver o clã Sarney todo eleito, mas posso apostar que ele elege quem ele quer seja do partido que for, e o povo? Vai eleger, vai continuar a votar sob a ótica de: PRECISO VOTAR PARA NÃO ELEGER OS MAUS, quando na verdade só se elege os maus nesse País. Depois de eleitos... É comprovado que não se pode fazer nada a não ser se indignar!

Fiz uma poesia no ano passado para “comemorar” o 7 de setembro. Deixo aqui, para provar que nada mudou.

Brindemos a toda e qualquer estupidez
Somos feitos de pontiagudas linhas
Histórias lidas por cegos nas entrelinhas
Cóleras isoladas de pequenez.

Vamos sorrir diante do roubo armado
De estripulias feitas a mingua do futuro
Lacrar a boca para nos mantemos seguros
Dar de mão e esconder o verdadeiro ser acanalhado.

Aplaudiremos de pé o ignorante pródigo
Reproduziremos todas as frases mal faladas
E com reclames inflaremos de vez seu umbigo
Até surgir um "mártir" e convocar que empunhemos nossas espadas.

Brasileiro gosta de brincar de guarda- vida
Tem necessidade de gerar e nutrir líderes doentios
Passa o esforço de meses e não consegue ser parida
Mesmo assim vamos comemorar a morte em vida de nossa mãe gentil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..