30 de jun de 2009

Crise de meia idade



Democracia é um regime de governo onde o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual. Uma democracia pode existir num sistema presidencialista ou parlamentarista, republicano ou monárquico.


E para nós, povo "democrático? Qual o significado desse sistema de Gove
rno? Quais as necessidades que atende? O que muda em sua vida, saber que VOCÊ, povo, elegeu quem governa o Pais?

A mim dá sentimento de culpa. Fui concebido durante o regime militar, filho de uma "do lar" e de um porteiro de fábrica que, migrado do interior de São Paulo para tentar a vida na Capital, conseguiu se formar em Advocacia por méritos próprios e sem cotas.

Depois de mim, mais duas irmãs, ambas nascidas sob o "Ame-o ou deixe-o", das aulas de Moral e Civismo, dos álbuns de figurinhas com a bandeira do Brasil na capa e do Hino Nacional depois do Pai-Nosso antes de entrar nas aulas do dia. Ou seja, somos, minhas irmãs e eu, crias de um País que se exibia ao mundo como ditatorial, mas que tinha Tom & Vinícius, Copacabana & Carnaval sem peladas, emprego & cidadania.
Este texto não é saudosista, mas sim memorial. Olhando essa confusão toda em Honduras e ouvindo a cria do Golbery dizer "Não podemos aceitar um Governo que não tenha sido estabelecido pelo voto. Seria um mal exemplo para todos", noto o medo que aqueles ELEITOS PELO POVO tem do militarismo. Não acredito que o Brasil seja hoje mais capaz de aceitar um Golpe e não é por conta de nossas Instituições Nacionais, mas sim por um dos símbolos da Mãe Pátria: o brasileiro é um tremendo bunda-mole.

Não espero ver nunca mais tanques nas ruas, nem distribuição de bandeiras de lapela, como era tão comum nas Semanas Cívicas. Bandeira do Brasil só serve para alegoria de um encontro esportivo qualquer, de Copa do Mundo a futebol de botão. Ver presos corruptos e outros safados, também não tenho esperanças. O povo aprender a votar e escolher alguém "menos pior" seria desejar demais...

Este nosso País rico, de gente tão acolhedora quanto estúpida não tem futuro, porque para muitos somos já a capital dos Estados Unidos do Sul. Se os argentinos se pensam como europeus das Américas, o brasileiro se acredita uma sucursal de Washington. Até escolhemos o presidente deles, oras. Vi um carro com o "we can" obamanoíde, logo acredito que nossa identidade nacional fala inglês, for sure?

Chego a um ponto da vida - passando os enta - que minhas conclusões, por mais idiotas que sejam, tem para mim peso de ouro. Antes envolvido em divulgar Greenpeace e outras bondades,
hoje me recolho no asco ao ser humano. Principalmente o estúpido brasileiro que só sabe seguir a mídia, pedindo a cabeça de alguém da vez - no Congresso, na Presidência, na escolinha que dizem ser de donos pedófilos.

Gente que pensa me agrada. Gente que pensa, contesta e discorda, com elegância e bom português, me maravilha. O brasileiro médio? Chega a dar dó.

Fora Sarney? Exploda Simon? Excomungue o Lula? Não...deixem eles por lá. Foram eleitos com seu voto tão penosamente conquistado.

Viva e respire a Democracia! Mesmo que cheire merda.


Fonte de Imagem [ aqui ]





IEditora Novitas

Visite o Site e o Blog da Editora Novitas!



Bookmark and Share

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..