10 de mai de 2009

CC versus Copyright versus ISBN



Já que o assunto direitos autorais é rotina nesse blog, vamos colocar nosso ponto de vista seguindo a linha editorial ok? Esse texto é meu e do David.

Desde que pensamos em abrir a Editora, separamos bem: blog é uma coisa livro é outra coisa. Não publicamos mais textos com conteúdo que possa ser reproduzido de forma indevida por terceiros e quem quer um dia vender seu livro não deve colocar em blog o que pensa em publicar. Isso é básico e para investir em um autor realmente aconselhamos isso.

O registro de ISBN e ficha catalográfica é obrigação editorial e de quem pensa em vender livro. Nenhuma livraria ou revistaria aceita livro sem registro para vender e se aceita nos desculpem mas... "bom sujeito não é". Reparem que se tudo na vida é uma burocracia do caralho, com publicação de livro não seria diferente. A ficha catalográfica alguns consideram desnecessária, mas na dúvida estamos catalogando todos os livros, é um direito do autor.

Quando se pensa em idoneidade da editora, solicitem o registro editorial dela. Pelo registro editorial, pode - se consultar os títulos dessa editora direto na biblioteca nacional. Nem todas as editoras tem gráficas e nem todas as gráficas são editoras. Algumas gráficas obtem o registro de editor, mas não fazem a editoração, cobrando todos os serviços em separado. Logo, consideramos essa modalidade como simples gráfica com status (indevido) de editora.

Quem vem com livro "registrado"por Creative Commons acreditando que está garantindo seus direitos autorais, elucidamos dizendo que: Creative Commons de fato não defende direitos autorais e é uma forma "blogueira" de se proteger...

Separando-se livros de blogs, a opção Creative Commons não garante absolutamente nada sobre os copyrights de seu livro:

Ele permite que autores e criadores de conteúdo, como músicos, cineastas, escritores, fotógrafos, blogueiros, jornalistas e outros, possam permitir alguns usos dos seus trabalhos por parte da sociedade

Como o descrito acima, a intenção do Creative Commons não é a preservação de direitos e sim a regulamentação da distribuição. Existem inúmeras controvérsias quanto a sua necessidade e aplicação, pode ser muito bem considerado como a prima pobre do copyright...

Na realidade, se sua obra é importante ou você acredita que possa ter mercado, não reproduza na internet!

Ter uma editora não é glamuroso como alguns acreditam; as vezes passam pessoas deveras estranhas pedindo conselhos ou publicação de livro. Um autor em especial apareceu com a sugestão de fazer um livro sem ISBN. Para isso, o autor poderia fazer em casa, imprimir e vender para seus amigos, ou doar e não procurar uma editora. Editoras que publicam livros sem ISBN fazem serviço pela metade, cobrando caro pelo outra parte que diz fazer.

Andamos pesquisando e para a publicação de textos em blog o MyFreeCopyright é um boa coisa, pois atualiza a cada nova entrada através dos feeds de seu blog. Se alguém lhe copiar, você tem a data de postagens para argumentar em juízo. Só não descarte os emails enviados pelo serviço.

Para finalizar, resumindo:

  • Blog é blog. CTRL+C e CTRL+V é possível, fácil, desonesto e rápido. Evite publicar na web algo que possivelmente vá ser utilizado em seu futuro livro.

  • Livro é livro: Seja por qual Editora resolva publicar, cobre o registro ISBN e Ficha Catalográfica.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..