19 de dez de 2008

Já é Natal

- Mãe, tu e o David estão bem?
- Sim, filho!
- Então... Quero pedir para o papai noel um Playstation 3, ok?
- Aham, vou conversar com o papai noel e te aviso, mas acho que não vai rolar.
( Esse diálogo aconteceu com o Lucas, meu filho de 7 anos que ainda acredita em Papai Noel)

Eu não entendo pq na época do Natal, as crianças costumam pedir presentes caros, normalmente os que estão nas propagandas da televisão, se o vídeo game WII estivesse nos comerciais provavelmente o Lucas pediria para o Papai Noel. Fato é que vivemos em uma sociedade consumista, e quando somos crianças consumimos muito, mas não notamos... Enfim o brilho do Natal, existe por causa das crianças, e não me venham com a balela de época de Natal é época de paz, amor, união e fraternidade que não cola. Eu acho engraçado que tem gente que na época do Natal vira "bonzinho"... Mas chega no dia 27 já está o mesmo monstrinho de sempre. Por sinal uma coisa que noto muito, são aquelas criaturas que vira e mexe invocam a paz celestial ou amam aquela frase: " Deus está vendo tudo..." , mas infelizmente não se tocam que elas não são anjos de Deus, e vivem aqui na terra mesmo, e são na grande maioria 30 vezes pior que o dito cujo que recebeu a "praga celestial". O pior do Natal, tirando a parte do consumismo desesperado, é a outra bela frase : "Natal é época de perdoar" Isso me nego a comentar, acho de última... Quer dizer que a criatura apronta o ano inteiro e na época do Natal, recebe perdão? Imagina se vira lei um negócio desses, acabaremos com o problema do sistema carcerário no Brasil... Tá todo mundo "perdoado"!
Natal é reunir a família, e jantar pelo menos uma noite por ano com talheres de inox , pq durante o ano melhor servir com talheres de plástico para ninguém correr o risco de parar no pronto - socorro... Sim, sim... Depende da família, pq tem aquelas que contratam um enfermeiro para ser o papai noel, caso alguém discuta e infarte durante as comemorações natalinas. Logicamente, nem todas as famílias são iguais... Mas peço que todos sejam "bonzinhos" o ano todo e não só durante um mês no máximo.
Voltando a questão do consumo, a Denise Rangel, me enviou um e-mail interessante que colo aqui no blog para vocês olharem:

"Nós, do blog Faça a sua parte, fizemos um debate sobre como poderíamos pensar em um Natal que nos aproximasse da natureza e, ao mesmo tempo, valorizasse a confraternização, com o resgate de valores talvez sublimados pelo consumo de presentes industrializados:

Hoje vivemos no tempo do consumo, do consumo desenfreado de produtos industrializados, dos produtos importados que trazem em si um enorme prejuízo para a natureza. Onde o ostensivo tem mais valor que o simples, o simples feito com as próprias mãos, com materiais que estão bem ali, na nossa frente.

Por isso, nós, do blog Faça a sua parte, queremos saber que sugestões ecológicas você teria para presentear seus parentes, amigos, colegas, enfim, todas aquelas pessoas que você costuma presentear no Natal.

A campanha do Natal do Faça é bem simples: escreva um post no seu blog com dicas de como presentear de forma ecológica.

Os participantes concorrerão ao sorteio do livro "Seis Graus: o aquecimento global e o que você pode fazer para evitar uma catástrofe", do renomado ambientalista Mark Lynas. (veja aqui detalhes sobre o livro e, inclusive, um trecho).

Vá até o blog Faça a sua parte, e deixe, nos comentários, o link para o seu post e concorra ao sorteio que acontecerá no dia 24 de dezembro. Participe! Faça a sua parte!"

Achei interessante isso e minha dica para presentes de Natal são os livros. Livros são portadores de texto que normalmente as pessoas não descartam. Algumas editoras já trabalham com material reciclável ou plantam árvores por causa da questão do papel. Eles duram muito, e ainda nos deixam mais inteligentes, e só para não perder a propaganda kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Dá uma olhada no post que o David fez.

Abraços