7 de jul de 2010

Let´s dance

Estava ainda há pouco dando aquela geral nos jornais e encontrei esta manchete que me atiçou a curiosidade: "Ah, se a guerra fosse assim…"  . No corpo da reportagem aparece um vídeo onde soldados israelenses em patrulha pelas ruas de Hebron (Cisjordânia), percebendo que não havia perigo, resolvem fazer passos de dança, embalados pela música Tik Tok, da Ke$ha. Apesar de não ser meu estilo de música, a coreografia ficou legal. Eu gostei.

Claro que logo após a reportagem ir ao ar, fanáticos extremistas e pseudo-politicamente-corretos (além de chatos, babacas, comunas, reacionários, e tudo de mal que você queira pensar), comentam  coisas como "é fácil dançar sendo o opressor". Esse tipo de gente, com sua almas puras como chão de boteco e elevada consciência humanitária bradam pela punição dos soldados, pelo simples motivo de que a atitude deles seria uma chacota com o povo palestino. Concordo: Ke$ha agride até os meus ouvidos nada puros. Poderiam ter usado ao menos ai um...Beatles, talvez.

O que essas pessoas esquecem é que ali estão seis ou oito (não lembro agora) jovens que são obrigados a portar armas. Muitos anos atrás li uma frase que diz "A guerra é uma invenção dos velhos onde morrem os jovens", de quem não sei a autoria, mas que é válida e exemplificada neste caso. Jovens, com certeza, prefeririam estar namorando e dançando em alguma bar da noite, invés de servirem de alvo ou praticarem tiro ao alvo em outros jovens.

O mundo envelhece e envelhece mal. Nosso planetinha envelhece tão mal que seria justo trocar o nome Terra por algo mais condizente -- como Donatela Versace. E as rugas que aparecem em nosso mundo são exatamente essas atitudes hipócritas, onde todos são os donos das verdades...alheias!

Eu apoio aos soldados israelenses e não acredito que sejam merecedores de punição. Assim como os americanos, citados na mesma reportagem e que fizeram algo bem pior: coreografaram Lady Gaga(Eca) e seu Telephone(Ugh).

Na realidade o ser humano é nada mais, nada menos, que o parente do macaco -- e peço desculpas ao macaco. Como devem ter existido vários parentes trocando um oi durante o processo evolutivo -- uma convivência forçada entre pelados e peludos durante determinado tempo --, hipócritas nos forçam ao seu convívio, puxando para baixo nossa evolução feroz, que caminha em direção à extinção total.

2012 está aí, gente! Se for para essa merda explodir, quero um barranco para encostar, um uísque para beber, meu cigarro não pode faltar. E, para ouvir, além das gargalhadas de minha amada, Ke$ha na vitrola, para me dar o conforto que o lixo todo, estará indo embora...

E você, hipócrita, que sentiu-se ofendido com este texto já sabe: "Tô nem aíííí, tô nem aííííí...."


Share |

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..