23 de out de 2009

Dando nomes aos bois

O Presidente Lula finalmente está mostrando o seu lado chavista e espero que agora mais alguns admiradores seus desenvolvam o sentido crítico e percebam a que ponto chegamos.

Com a declaração de que deveríamos ter, invés de uma votação, uma indicação plesbicitária sobre sua indicação ao nosso próprio governante, nosso presidente metalúrgico comete um assalto contra a democracia. Não que Lula tenha algum dia sido favorável; haja visto que sua linha de pensamento, mais que socialista, sempre foi comunista. Lembrem-se de que o Deputado Constituinte Lula foi contra o texto constitucional.

Pois bem, sabemos agora quem é o líder e o que pretende. Bastaria agora fazer com que a massa compreendesse isso. Mas não acontecerá, porque não temos uma oposição que se faça notar. Existem excessões, mas não um consenso geral em como se defender do lulismo. O PSDB, partido ao qual sempre admirei pela qualidade de seus membros, está perdido e sem foco. O DEM, que já foi a viúva enquanto PFL é agressivo e me parece renovado, mas carece de um ACM (o velho) para trancar o avanço dos aliados de situação. PSOL, PV e cia ltda são pequenos, extremistas e fruto do próprio PT (digo em relação ao agora, não à história).

Ontem, dia 22 de outubro, no Zero Hora, página 46, li o seguinte trecho do artigo "Oposição aprova CPI do MST":
O Deputado Maurício Rands (PT-PE) disse que a prática de a maioria controlar os trabahos das CPI´s é normal e adotada desde o Governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso(1995-2002).
-Toda vez que a oposição perde terreno na disputa democrática de propostas para o país, ressucita a tática da indústria de CPI´s, o que banaliza o instrumento - disse o deputado.

Clássica falta de memória, já que o deputado comete dois erros crassos:

1) A oposição no governo FHC era do PT, o que quer dizer que era o PT quem deflagrava CPI´s a torto e a direito;
2) FHC não poderia criar uma CPI contra ele próprio por dois motivos:
a - não seria besta de legislar contra o próprio governo e
b - FHC era presidente, logo Executivo, logo não teria como propor uma CPI, pertinente ao poder Legislativo, poder em separado (de fato o era, hoje já não se sabe mais).

Essa é a maior arma petista: a delegação de erros a outros que não ele próprio. Se algo está errado hoje, é porque o governo lulista herdou de FHC esse problema. Se está dando certo, é porque as cabeças pensantes e iluminadas do PT é que colocaram as coisas nos devidos eixos. O discurso não muda e a caravana passa...

Democracia. O exercício do poder do voto. Uma bandeira que todos os esquerdistas de plantão gostam de empunhar, lembrando dos tempos da Ditadura, embora fossem marxistas e quisessem um governo comunista no Brasil, aos moldes de Cuba. Empunham as bandeiras da democracia e vestem-se com camisetas estampadas com o rosto de Che Guevara, outro que além de comunista, assassino de gente do povo que era contrário à "Revolução". Democracia que tem rendido pomposas aposentadorias a "perseguidos", como é o caso de Lula, que perdeu fabulosos 20 dias de sua vida atrás das grades e hoje fatura como se tivesse ficado exilado durante 15 anos fora do país.

Ainda bem que essa farra democrática teve um pequeno castigo ontem, onde o empenho do Senador José Carlos Aleluia foi destaque. A UNE queria "ressarcimento" pela destruição de um prédio em 1964. A oposição conseguiu barrar mais essa maracutaia, esse pagamento de massa de manobra de aluguel que hoje ocupa o diretórios universitários. Nas palavras de Aleluia:

"A UNE tem uma história importante e teve grandes líderes, como José Serra (ex-presidente da União Nacional de Estudantes, nos anos 1960). Agora, virou um entidade remunerada. Tem a sua lealdade ao presidente Lula comprada"

Está na hora do Brasil acordar e perceber que a ditadura branca (ou vermelha, dependendo do ângulo que se avalie) já está instaurada e que uma continuidade do reinado petista no poder só fará com que se desmantele de vez o pouco de respeito que o brasileiro ainda tem por suas (falidas) Instituições.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Livre para opinar, mantendo a educação..