13 de nov de 2008

quiqui é isso?

Na Escola que meu enteado estuda, o prestigioso Colégio Mauá e seus 130 anos de existência, há uma biblioteca infantil. Toda semana, traz para casa dois livrinhos diferentes. Toda semana fico desanimado.

A qualidade literária desses livros é vergonhosa. Pensam talvez os autores que nossos infantes sejam, digamos...retardados. Nada contra os retardados, esses sim merecedores de uma atenção diferenciada. Mas pressupor que todas as crianças (incluindo ai os que realmente tenham algum tipo de atraso mental) tenham o QI de uma ameba, é demais.

Existem para todos os (maus) gostos: fofinhos, miguxinhos, inocentezinhos, bobinhos, idiotinhas.
Graficamente tentam disfarçar a ausência de conteúdo. São sempre multi-coloridos e entupidos de gravuras ao estilo "nada a ver".

Hoje tomei um susto, com o livro que veio parar aqui em casa. Chama Dodó e foi escrito e "decorado" pelo Ziraldo, aquele da pensão milionária. Dodó, se você não tem idéia de quem seria, é uma bunda. Isso mesmo, uma bunda que quer ser livre. Nada contra o new rich da nossa literatura, que respeitava quando criança (tá, nem tão criança assim) e apareceu a Turma do Pererê.

Eu poderia tecer um daqueles comentários bonitos que existiam no falecido Aqui não, Genésio, meu antigo blog. Mas como não adianta nada e este é para ser um blog cultural ( e bem comportado), descrevo esse tipo de literatura com uma só palavra: MERDA!

Onde está o bom e velho Monteiro Lobato? Ou um mais recente, famoso em várias áreas, como o Marcos Rey? Ou mesmo antigos contos de fadas, como as Mil e Uma Noites, Gato de Botas, Simbad o Marújo?

Para se dar crédito ao gosto duvidoso, banem das bibliotecas escolares o que realmente presta. O que hoje realmente tem valor é a cultura meia-boca vigente como meta de nossos amados governantes semi-alfabetizados.

Nenhum comentário: